Weby shortcut 1a5a9004da81162f034eff2fc7a06c396dfddb022021fd13958735cc25a4882f
topo em gif

Alterações Laparoscópicas em Pacientes com Sorologia Positiva para Chlamydia trachomatis

Alterações Laparoscópicas em Pacientes com Sorologia Positiva para Chlamydia trachomatis

Approbato, MS, Florêncio, RS, Amaral, WN.
Departamento de Ginecologia e Obstetrícia
Laboratório de Reprodução Humana – FM/UFG, 2004.

Introdução

• A Chlamydia trachomatis é um parasita intracelular obrigatório relacionado a várias enfermidades
• Infecções genitais pelo C. trachomatis são geralmente assintomáticas, o que promove sua disseminação pela população
• É o microorganismo causador de DST mais comum na Europa e no Reino Unido
• Complicações: dor pélvica crônica, infertilidade, suscetibilidade a gravidez ectópica e abortos espontâneos
• Lesão das tubas uterinas através da autoimunidade contra a proteína hsp60
• Títulos elevados de anticorpo IgG anti-clamídia estão relacionados a infecção crônica das tubas e infertilidade
• A laparoscopia é o padrão ouro no diagnóstico de lesões tubáreas

Objetivos

• Este estudo teve como objetivo verificar o risco de aderências pélvicas, obstrução tubárea e prenhez ectópica em pacientes com sorologia positiva para clamídia
• Avaliou também a sensibilidade, especificidade, razão de Odds e razão de prevalência da imunofluorescência indireta para Chlamydia trachomatis em prever aderências pélvicas e obstrução à histerossalpingografia

Metodologia

• Estudo caso-controle com trinta e sete pacientes acompanhadas no Laboratório de Reprodução Humana FM-UFG
• Grupo Caso (n=16) e Grupo Controle (n=21)
• Foram excluídas as pacientes com história prévia de ligadura tubárea e outras causas conhecidas de aderências pélvicas
• Foram realizados os seguintes exames: imunofluorescência indireta para clamídia (IgG), Histerossalpingografia e Laparoscopia diagnóstica
• A sorologia para clamídia teve como valores normais os títulos até 1/8
• Na histerossalpingografia, foi avaliada a presença (uni ou bilateral) de obstrução tubárea
• A presença de alterações tubáreas laparoscópicas foi avaliada conforme os critérios preconizados por Kistner et al

» Score 0: Ausência de aderências à laparoscopia
» Score 1: lesões mínimas, com comprometimento de 1 cm da trompa ou ovário
» Score 2: lesões moderadas, com aderências que rodeiam parcialmente uma trompa ou ovário
» Score 3: lesões graves, com aderências encapsulantes peritubáricas, periováricas ou ambas

• Foram consideradas como significativas as alterações laparoscópicas com score 2 ou 3
• Para análise estatística, foram usados os testes de qui-quadrado e exato de Fisher, com intervalo de confiança de 95% e p=5%.

Resultados




Conclusão

• A sorologia para clamídia está associada a risco (Odds ratio) progressivamente maior:

a) Obstrução tubaria na HSG: OR = 2,66
b) Gravidez ectopica: 4,61
c) Aderencias pelvicas na laparoscopia: OR = 5,5

• Quando há obstrução tubária o risco (Odds ratio) da paciente apresentar aderências pélvicas na laparoscopia:

a) OR = 16

 

Listar Todas Voltar