Weby shortcut
topo em gif

Estudo da Luffa operculata (buchinha) na fertilidade de ratas Wistar

Estudo da Luffa operculata (buchinha) na fertilidade de ratas Wistar

Study of Luffa operculata in the Wistar Rats Fertility Approbato, MS; Batista, SRR; Mialichi, FC; Araújo, TPT; Araujo, CL; Vêncio, CM; Martins, FF. Departamento de Ginecologia e Obstetrícia Laboratório de Reprodução Humana – FM/HC-UFG, 2004.

Objetivo

Avaliar os efeitos do fruto da Luffa operculata na fertilidade de ratas.

Métodos

Foram utilizadas 30 ratas Wistar, divididas em três grupos: tratado D1, tratado D2 e controle. Elas receberam a decocção da buchinha por via oral, uma vez ao dia, durante 7 dias após o cruzamento. As doses foram de 150 mg (D1) e 300 mg (D2) de buchinha por Kg de peso corporal. Os parâmetros avaliados foram o ganho de peso durante a prenhez, a prevalência de abortos, mortes fetal e materna. Malformações fetais grosseiras, número e peso dos recém nascidos. A seguinte análise dos reflexos neurológicos dos filhotes foi realizada: postural, preensão e orientação no 1º, 3º, 5º e 10º dia de vida.

Resultados

Houve diferença estatisticamente significativa quanto ao número de ratas que engravidaram, no ganho de peso materno no 14º dia de prenhez (Fig 1)

Fig 1. Distribuição das ratas segundo o ganho de peso corporal e dose de buchinha durante a gravidez.

No peso dos recém-nascidos em todos os dias observados (Fig 2)

Fig 2. Distribuição de filhotes segundo o ganho de peso corporal e a dose de infusão de buchinha.

e no reflexo de orientação no 10º dia de vida (Tabela 1).

Tabela 1. Distribuição dos filhotes segundo reflexos neurológicos avaliados ao 1º, 3º, 5º e 10º dia após o nascimento e a dose de infusão de buchinha.

Conclusões

A buchinha pode influenciar na fertilidade de ratas, no ganho de peso durante a gestação, no ganho de peso dos filhotes após o nascimento e no reflexo neurológico de orientação.

Listar Todas Voltar